Empurrando limites: Peter Bradd encarregado de construir ecossistema de inicialização da Austrália

Quando outras crianças estavam fora chutar uma bola, Peter Bradd já estava ganhando dinheiro de bolso, executando o seu próprio negócio-roçada gramado e lavando carros de seus vizinhos. Quando tinha idade suficiente para trabalhar, Bradd escolheu postos de trabalho com as pequenas empresas: Um bar local leite, De Costi Seafoods, em seguida, uma franquia Video Ezy.

Eu fiz todos os s *** empregos por US $ 5 por hora, e viu o proprietário entrar e tomar o dinheiro, e sair. Eu pensei ‘Eu queria ser aquele cara, ele não está fazendo nenhum trabalho’. Eu sempre achei que precisa possuir algo “, lembrou Bradd.

Hoje, Bradd é o proprietário e fundador da ScribblePics serviço postal personalizado, um diretor fundador do espaço tecnologia co-working Fishburners, eo diretor-fundador e CEO da não-for-profit comunidade startup nacional StartupAUS.

Embora nenhum de seus primeiros papéis tinha nada a ver com tecnologia, Bradd foi exposto pela primeira vez ao sector, quando ele assumiu um grau na agricultura e economia na Universidade de Sydney. Ele escolheu para completar a experiência de trabalho em uma empresa de corretagem como parte de seu fluxo de economia, e aprendeu um pouco sobre HTML e CSS durante seu tempo lá.

Seu conhecimento sobre a tecnologia cresceu ainda mais quando ele explorou como crescer em um negócio viável sua ideia de transformar fotos em cartões postais – começando o que acabaria por se tornar ScribblePics. Bradd disse que a idéia surgiu após a formatura, quando ele tomou uma viagem de ida mundo por um ano com seu irmão gêmeo e começou a usar suas fotos como postais.

“O que eu fiz quando eu estava viajando era, gostaria de imprimir as fotos e enviá-las como postais. Quando voltei, liguei para Fuji Xerox e lhes disse que queria levar as pessoas a transformar fotos em cartões postais, e eles disseram que é possível, mas você não vai fazer qualquer dinheiro com isso “, disse ele.

Forçando-o a pensar mais sobre como monetizar a ideia, Bradd parceria com a Qantas, que o colocou na frente de 40 milhões de passageiros de Qantas anualmente.

“A parceria com a Qantas, uma marca de verdade, me ajudou a Expedia, Contiki, e Hilton, que provavelmente pensava que se Qantas estava fazendo isso, eles queriam-lo, também, então eu continuei fazendo versões do mesmo”, disse ele.

“Essa foi a primeira vez que vi um empresário trabalhar com um negócio. Acho que foi bastante raro naqueles dias, mas é mais importante agora, e essas são algumas das coisas que necessita para continuar a acontecer.”

Bradd atribuiu sua dinâmica empresarial que o ajudou a estabelecer ScribblePics e Fishburners a trabalhar principalmente em vendas, enquanto na universidade para os gostos de outros empresários, como Creel Preço, LJ Hooker, uma empresa fazendo o desenvolvimento de negócios consultadoria de gestão, e Westpac como representante de vendas de seguros de vida .

Peter Bradd, StartupAUS diretor fundador e CEO; (fornecido)

Bradd disse a pessoa mais influente em sua carreira foi Greg Johnson, que dirigia uma empresa que foi vendida para empresa de soluções de software de contabilidade 6. Bradd disse Johnson era um “tutor incrível” que lhe ensinou tudo o que sabe sobre vendas.

Um aprendiz virou CEO: Como Tony Simonsen chegou ao topo; portas abertas: a decisão de Ian Raper para ir contra a tradição, uma bifurcação na carreira: Como Andrew McGee fez a sua escolha; trazendo em casa o bacon: Como Charlie Madeira desembarcou em tecnologia

“Ele me ensinou um montão de coisas Ele tinha 60 anos e eu tinha 23 anos, e ele me deu todas as lições Ele foi muito difícil, como um tirano cruel, e ele me disse isso:..” Se você trabalhar comigo, vou realmente empurrá-lo para a borda ‘ “, disse ele.

Bradd disse Johnson foi a pessoa que ajudou a construir a plataforma que ScribblePics senta-se em, observando que ele criou quando em um vôo para a Espanha.

“Depois de tomar café com ele, dentro de 48 horas, ele me enviou um link para um site para tudo o que eu queria: Para fazer upload de fotos, transformá-lo em um PDF, e-mail os PDFs, e ele fez tudo isso ao mesmo tempo em um avião para a Espanha e que mudou minha mentalidade para o que é um MVP [produto viável mínimo] é. ”

Em torno do mesmo tempo em que as coisas estavam começando a ScribblePics, Bradd também estava na caça para trabalhar com mais pessoas afins, e em 2011 foi introduzida para o Entourage Jack Delosa, bem como fundador da Fishburners Peter Davidson.

Start-Ups; Deakin Uni, Ytek lançar máquina de pesquisa algoritmo de aprendizado para o treinamento de simulação; E-Commerce; Flipkart ea Paytm se tornar rivais imediatos, definindo estágio para a batalha de comércio eletrônico; Start-Ups;? Por os chineses transformaram mensageiro Caminhada da Índia em uma ? unicórnio e o WhatsApp pode aprender com ele; e-Commerce; Uber sofre $ 1.2b metade da perda ano: Relatório

Mais informações sobre os líderes de TI da Austrália

Recordando quando pisou pela primeira vez no Fishburners baseados em Ultimo, Bradd disse: “Não havia nada Havia um cara em calças de fato de treino e eu pensei [Peter] era um pintor europeu Eu estava esperando um cara com um terno e gravata, e.. ele é como para mim, ‘seu negócio é legal e eu quero que você se mover em’ “.

Juntando-se 10 outras pessoas no momento, Bradd usou suas habilidades para ajudar Davidson com contas de manuseio, legais, e até mesmo marcando primeiro patrocinador principal da organização, Optus, que na época valia R $ 100.000.

Bradd também se tornou responsável pela construção da cultura empreendedora dentro da organização, lembrando que em um ponto, ele estava organizando viagens mensais para alto-falante futurista Tim Longhurst para visitar o escritório para falar aos empresários sobre a tecnologia eo futuro.

Ao mesmo tempo, Bradd também correu meetups para Fishburners chamados vencedores de quarta-feira Werther.

Eu sempre pensei, ‘Eu preciso de possuir alguma coisa.’

“Toda quarta-feira, nós comprar um maço de originais de Werther, e temos todos a entrar na sala de reuniões – e naquela época, que era máximo 20 pessoas – e você tinha dois minutos para dizer suas vitórias, seus desafios, o seu perdas para a semana “, disse ele.

“Se as pessoas tivessem os mesmos desafios uma e outra vez, outras pessoas iria ajudá-los com isso. As ações e vitórias iria ajudar os outros a viver fora da energia, e não havia esse tipo de prestação de contas do grupo, e que foi uma das melhores coisas fizemos no Fishburners. ”

Com Fishburners agora em plena capacidade, que acomodam mais de 125 startups de tecnologia, Bradd está tentando espalhar a cultura empreendedora para uma escala maior – na verdade, em escala nacional, com StartupAUS.

Nomeado como o primeiro CEO da organização na semana passada, Bradd já se reuniu com o cargo de ministro das Comunicações e Ministro das Pequenas Empresas, e agora está tentando se conectar com o primeiro-ministro para persuadi-lo a “mudar a conversação” em todo o ecossistema de inicialização australiano .

No início deste ano, Crossroads 2015 relatório StartupAUS ‘(PDF) pediu ao governo federal para fornecer suporte para o ecossistema de inicialização australiano. Isto incluiu a criação de uma cultura empresarial e colaborativa, e um ambiente regulatório; trazendo mentores experientes, e dando startups acesso a habilidades técnicas e de capitais, bem como a tolerância ao risco e sucessos visíveis. Bradd sugeriu que ecossistema de inicialização da Austrália carece actualmente estas condições, e acredita que é necessário tê-los, a fim de criar um ambiente florescente.

“O que nós queremos fazer como StartupAUS é transformar o ecossistema, e para obter essa massa crítica indo para que se torne auto-sustentável”, disse ele.

“A principal mensagem da visão é se queremos que os empresários para ficar na Austrália, eles precisam jogar pelas mesmas regras, pelo menos, como seu concorrente em outro país. É claro que queremos que eles a jogar melhor e ter essa vantagem competitiva, mas precisamos de, pelo menos, jogar pelas mesmas regras. ”

Bradd disse que há várias soluções que StartupAUS será empurrando. A primeira será para mudar mentalidade da Austrália para fazer o país compreender que os empresários fazem parte de todas as indústrias, incluindo serviços bancários, serviços financeiros, saúde, agricultura e viticultura.

“Precisamos mudar a conversa a partir dos empresários são um grupo de pessoas” para “somos inovadores em todos os setores”, e as indústrias futuras terão esses inovadores que trabalham com nossos grandes empresas “, disse ele.

“CEOs dessas indústrias querem trabalhar com os empresários. Eles têm problemas que querem resolver, e eles querem que os empresários para ajudá-los a resolver isso”, disse ele.

O lançamento do hub FinTech Stone e Chalk é um exemplo, Bradd disse, que ilustra o esforço entre os sectores público e privado se unindo para garantir que os sistemas financeiros da Austrália manter o ritmo com a tecnologia emergente.

Bradd também disse que as razões pelas quais uma pequena percentagem de startups se movem no exterior são para levantar capital, estar mais perto de clientes, ter acesso a melhores sistemas fiscais e de talentos.

“É muito, muito, muito difícil para empregar pessoas na Austrália. Não temos número suficiente de pessoas. Tentamos usar 457 vistos, mas quando você não tem nenhum dinheiro e você tem todas as empresas como o Google, Facebook e Cisco todos à procura de engenheiros, tentando competir com esses caras que têm departamentos de imigração que obter os vistos – você simplesmente não pode “, disse ele.

“Como uma inicialização, você não tem o dinheiro, e você acaba pagando um advogado para dar a sua confiança empregado de entrada você sabe o que está fazendo.”

Bradd acredita ser introduzida uma nova necessidades do programa visa reduzir a burocracia para as startups para trazer talentos para o país.

“Nós devemos ser a criação de vistos de empreendedorismo e tornando mais fácil para nós para obter habilidades de tecnologia. Devemos tornar mais fácil para qualquer empresário que quer vir para a Austrália, assim como cada país faz, e trazer esses mentores para a Austrália para ajudar startups Mentor, ” ele disse.

Bradd acrescentou que a Austrália não deve se sentir desanimado se os empresários australianos ir para o exterior, que deve ser visto como uma oportunidade para promover ecossistema de inicialização da Austrália, que por sua vez esperamos trazer talento adicional aqui.

“Precisamos incentivar os empresários australianos para voltar, mas não devemos ter medo de nossos empresários de ir para o exterior. Shoes of Prey foi apenas no exterior, e eles fazem AU $ 50 milhões por ano em receitas, e eles estão lá fora mostrando América que empresários australianos são como “, disse ele.

Se você olhar para o desporto, enviamos os Wallabies no exterior, nós enviar os nossos atletas olímpicos, e toda a indústria está autorizada a enviar suas pessoas no exterior, além de, por algum motivo, empresários de tecnologia não pode fazê-lo.

“O que queremos fazer é obter Jodie [a partir Shoes of Prey] dizendo: ‘Ei, Bondi Beach é incrível, o estilo de vida é impressionante”, e se ela perguntou o que é para iniciar um negócio, ela deve ser capaz de dizer “é incrível, porque o governo é favorável ‘, e isso é o ecossistema que queremos criar. Quando Jodie vai lá, vamos perdê-la por um tempo, mas talvez possamos trazer 20 ou 30 pessoas de volta aqui, e isso é o fluxo você quer.”

Ao mesmo tempo, Bradd disse não só um novo programa de vistos introduzir novos talentos para a Austrália, mas que também irá significar mais modelos para startups locais.

Ele acrescentou que uma vez que o ecossistema de inicialização local é estabelecida, isso significará capitalistas de risco adicionais – tanto local quanto internacionalmente – começará a investir mais em startups australianos.

Bradd reconheceu que a decisão do governo australiano para passar o imposto e Superannuation Leis Alteração (Funcionário regimes de participação) Bill 2015 na quinta-feira marcou um passo na direção certa. A partir de 1 de Julho, a nova legislação permitirá iniciantes para ser capaz de emitir opções ou ações para funcionários em um pequeno desconto.

Bradd disse o potencial para isso vai criar um “efeito PayPal”, o que significa que quando uma empresa fica rico, recebe o capital de que necessitam, completa um IPO, e permite que os accionistas para se beneficiar dele, seria então usar os fundos para iniciar uma segunda empresa e investir em outros.

“Os IPOs combinados de Twitter, Facebook e Google criou 4.000 milionários, e essas 4.000 milionários passou a criar suas próprias coisas, e você acabou de começar a construí-la”, disse ele.

O capital de risco é uma indústria global. Se nós podemos financiar até dizer AU $ 60 milhões em Austrália, em seguida, um capitalista de risco dos Estados Unidos vem em e tops-lo, isso é uma coisa boa. Queremos que o dinheiro dos EUA, porque eles têm mais do mesmo; nós queremos que eles vêm aqui.

Enquanto Bradd admitiu que a conversa já percorreu um longo caminho desde o ano passado com o governo, trabalhos em curso ainda é necessária.

“Se conseguirmos o direito ecossistema, tudo vai cair no lugar. Pode haver algumas coisas para fazer, mas se levá-los para a direita, o trem vai começar a se mover e, como o trem se move, ele vai ter os outros se movendo . Mas precisamos criar esse impulso para criar que a tração “.

Deakin Uni, Ytek lançar pesquisa algoritmo de aprendizado de máquina para o treinamento de simulação

Flipkart e Paytm se tornar rivais imediatos, definindo palco para a batalha de comércio eletrônico

? Por que os chineses transformaram mensageiro Caminhada da Índia em um unicórnio eo que WhatsApp pode aprender com ele

? Uber sofre $ 1.2b metade da perda ano: Relatório